O novo mundo sem monitoramento

      Comentários desativados em O novo mundo sem monitoramento

Os benefícios que as redes de computadores oferecem, a sua função vital nos negócios, tanto para crescimento e manutenção, e dependência, são cada vez maiores. Com isso, torna-se indispensável o seu monitoramento, pois a possibilidade de ocorrerem problemas aumenta todos os dias, por quaisquer motivos que afetem a infra-estrutura de tecnologia, podendo levar as redes a um estado de inoperância ou a níveis de desempenho inadequados.

A disseminação de novas tecnologias vem mudando as características das redes de computadores nos últimos anos. O monitoramento, em tempo real, da infra-estrutura de redes e todos seus ativos, sejam servidores e seus respectivos serviços, e links de comunicação se tornou indispensável na gestão da tecnologia da informação de qualquer empresa.

Com o monitoramento é possível obter as informações necessárias sobre estes equipamentos de modo rápido, confiável e diminuindo horas de trabalho numa tarefa que pode ser automatizada, desta maneira, facilitando tomada de decisões muitas vezes estratégicas para o negócio.

Este monitoramento também auxilia na verificação de performance de serviços e a resolução de problemas variados, sejam de conectividade ou indisponibilidade de serviços.

Atualmente para atingir um nível de excelência no ramo que atua, qualquer empresa precisa atender diversos requisitos na área de tecnologia da informação, para um nível de maturidade de automação, desta maneira a automatização de disponibilidade de serviços torna-se essencial para o bom funcionamento do negócio.

O objetivo de qualquer ferramenta de monitoramento é o de informar aos técnicos, administradores, coordenadores e gerentes sobre condições questionáveis ou criticas do funcionamento da infra-estrutura de acordo com o escopo adotado.

O objetivo central de qualquer implementação é comprovar através dos resultados obtidos e analisados no estudo de caso que são vários os benefícios proporcionados pelo monitoramento de ativos de redes em uma organização.

Então a pergunta é simples, como pensar em DevOps, integração continua, sites de contingência, senão temos o minimo de documentação e monitoramento ?